My niece…

She’s three now and she has been the most talkative person any of us have ever met since she began forming full sentences at the age of one… Can’t wait to see her in May.

Lorena

Advertisements

Author: guerson

Historian. Teacher. Knitter. Passionate for bringing people together and building bridges.

14 thoughts on “My niece…”

  1. Pois é Gi, não sei ainda se vou ao Rio. Adoro o Rio, me considero de lá já que é o lugar onde mais morei na minha vida (10 anos divididos em períodos de 1-3 anos cada vez), sou Flamenguista e torço pra Portela e Imperatriz Leopoldinense, mas confesso que ultimamente tenho medo de passear por alí. Principalmente acompanhada do marido gringo; me sinto um alvo ambulante. Faz anos que não vou… Meus dois irmãos passam a semana no Rio e pode até ser que dessa vez eu me anime a ir ao menos para tomar uma sangria e comer uns petiscos no Manoel e Joaquim (meu bar favorito!). Se eu for, eu te aviso…

  2. Alexandra, achei que sua família fosse do Rio. Que pateta eu.. ;-)

    Olha, entendo a reação das pessoas e não vou dizer que o Rio não é violento, mas pra mim tá “pau a pau” com outras cidades de primeiro-mundo como Paris por exemplo. Lá eles adoram dizer que a violência é só no “quartier chaud” e se esquecem que em Paris a coisa ferve, superperigoso ainda mais à noite. Além do mais, já ouvi tanto isso de “vou ao Rio e estou com medo” sei lá… que já tô sem palavra. ;-) Acho meio “patológico” o medo ser maior do que a vontade a não ser que a pessoa não queria mesmo vir ou já veio e odiou. Cada um com seu gosto. Aí normal. Não gostou, todo direito! ;-)

    Entendo a questão do seu marido “dar na pinta que é gringo”, e pra isso não tem jeito mesmo, porque meu namorado parece um pouco brasileiro, ama o Brasil e já saiu sozinho várias vezes aqui. Ele adora “dar uma de carioca da gema”. hehe Eu acho supersaudável mas fico meio “dando uma de mãezinha” e depois “largo o dito”. Só aprende quem se vira. ;-)

    Ah, mas você, que adora o “Manoel e Joaquim” já é carioquíssima, né? Ah, não vale dizer que não. hehe No dia que estiver nos seus planos e não for atrapalhar teu roteiro de viagem, venha sim! É um dos bares mais legais do Rio. ;-) É muuuuito bom mesmo e há em vários bairros do Rio na zona sul. Um bolinho de bacalhau ma-ra-vi-lho-so e a sangria é ótima e aquela porção de batata frita com cebola e calabresa.. hummm … ;-)

    Bjs

  3. E no seu caso o medo não é maior do que vontade, sure about this! E esqueci de dizer: não tenho time, mas já fui ao Maracanã duas vezes em dia de jogo. Meu namorado é doido pra conhecer mas não dá pra eu ir sozinha com ele quando rola “foot”. Ah, e sou pé-frio para o Flamengo. Quase me trucidam.. Ahahaha!
    ;-)

  4. Oi Gi,

    Eu nunca tive medo no Rio, morei lá 10 anos e NUNCA fui assaltada. Andava com joias, relogios, e tudo, andava de onibus para todo lado e não tinha nenhum medo. Aí conheci meu marido, ele veio visitar e fomos assaltados na praia de copacabana. Passei a ficar meio paranoica e com medo de tudo. Faz uns 5 anos que não vou ao Rio. Mas como disse, meus irmãos agora estão ali e quem sabe não fou para passar uns dois dias. Eu ADORO o Manoel e Joaquim e meu marido também. Provamos sangria em vários lugares no mundo e ainda não encontramos uma melhor – mesmo aqui na Espanha!
    Eu ia sempre ao Manoel da Av Atlantica, em Copacabana.

    Infelizmente meu marido é muito gringo mesmo e quando estou com ele as pessoas pensam que eu sou gringa também. Muitas vezes falam da gente perto da gente achando que eu não entendo portugues…. Vc precisa ver a surpresa quando respondo em portugues…

    Eu ia sempre ao Maracanão com meu irmão ver o Mengão jogar e uma vez fui ver a seleção contra a Argentina. Pode me considerar carioca sim ;)

    Quanto ao Rio violento, não vou dizer que outros lugares do mundo também não sejam violentos – como certos bairros de Paris, por exemplo – mas infelizmente eu vivi os ultimos 7 anos no Canada em Montreal e Toronto e lá há muito pouco crime. Toronto, com 5 milhoes de pessoas, tem uma media de 40-50 assassinatos por ano. Montreal tem uma meia duzia a mais. O dia que roubaram a carteira de um turista no centro de Toronto saiu no jornal. Então me desacostumei com o perigo, com as balas perdidas, e tudo o mais….

  5. Alexandra, com certeza. Eu tive medo dos “drogados”/punks” em Montreal, porque tenho essa coisa de “aura pra atrair tipos assim que precisam de ajuda..” hehe Desde pequena.. no colégio, até hoje. Mas esse meu receio em parte foi culpa do meu namorado que é ciumento e sabe que sou comunicativa, então era aquela coisa “não dê papo.. blabla, não fique tão animada só porque você não conhece a cidade blabla”. Um pulo pra eu ficar meio assustada. ;-)

    A maioria das coisas que me aconteceram no Rio não foram ligadas a assaltos, foi gente doida, mendigo, trocador de ônibus. Já me “livrei” de vários roubos ou por que conseguia “enrolar” (se a gente percebe que dá, se o kara é drogado, se a “área é sua”, enfim; pede-se ajuda) e também porque na época que andei com uma galera de funk (tinha ricos, classe média e pobres) fui liberada várias vezes porque conhecia fulano e sicrano. Essa foi uma das partes boas. hehe A “garota do asfalto”. hihi Sorte a sua não ter rolado nada. Aqui existe uma “lei no ar”. E esse papo de “não reaja” não é mentira. Eles não têm nada a perder. É uma das coisas que recomendo a estrangeiros. ;-) Já me disseram inclusive que os assaltante adoram o Rio porque todo mundo que tá aqui entrega tudo que tem e em outras cidades é “jogo duro”. ahaha Até flanelinha aqui se dá bem.

    As pessoas também acham que sou francesa quando estou falando com meu namorado, mas porque eles não conhecem uma francesa. ahahah E não reconhecem o pouco de sotaque. Há aquela aura belle-époque no Rio por conta da História obviamente. O Rio é múltiplo. Meu namorado andando sozinho é brazuca, meio moreno branquelinho. Pegando praia ele fica mais moreno que eu. ;-) Perguntam as horas a ele e tudo. Quando voltei de Paris fiquei com mais medo do que quando nunca tinha saído do Brasil. Mas é totalmente verdade que a pessoa se acostuma com outros países de primeiro-mundo; no meu caso não é muito a violência e sim a questão de transporte, respeito ao bem público, natureza, enfim. Com isso eu era exigente mesmo antes de pôr os pés fora do Brasil.

    Bjs e boa Páscoa procê! Voltei da minha mini-páscoa agora. ;-)

  6. Gi,

    Pois é, foi o que eu disse – eu tenho muito mais medo hoje do que quando nunca havia saído do Brasil. Eu fico triste pela situação no Rio pois tinha tudo pra ser uma cidade incrível, top-10 das cidades mais visitadas do mundo. Nota-se o que poderia ser aqui em Barcelona, que eu acho bem parecida com o Rio – tem a mesma energia, criatividade, mas sem o clima de guerra o que a ajudou a se tornar um lugar super na moda hoje.

    Mas como eu sempre digo – o Brasil não vai chegar a lugar nenhum enquanto não começar a lutar de forma séria contra a desigualdade social e começar a valorizar a educação da população. É claro que isso impediria os políticos corruptos de serem re-eleitos…

    Boa Pascoa!

  7. Maybe you will laugh about it, but…is it possible that I have watched tonight Alan tasting cookies at Demasié store in a report in the news of BTV (Barcelona Televisió) ? And I know you only for this blog, but I’m sure it was him !

  8. Alexandra, me lembrei de uma coisa agora: você já comeu aquela sobremesa famosa do Manoel e Joaquim, a “Viva o gordo”? São bananas fritas com canela e em volta de duas bolas bolas de sorvete de creme. Dá pra umas 3 a 4 pessoas comerem. Claro que eles colocam mais banana que sorvete. Nossa.. eu adoro! Como não sou fã de chocolate e doce muito cheio de coisa, adoro essa. Amo sorvete, e sobremesas com frutas e só com uma caldinha quente de chocolate, mas esses chocolates, esses biscoitos não vão bem pra mim. Meu namorado chama essa sobremesa de “fiesta del gordo”. Sei lá se é assim que se escreve em espanhol; só sei que ele confundiu tudoooo. Mas é mais ou menos o mesmo sentido pra mesma festa! ;-))

  9. Oi Gi,

    Eu ADORO essa sobremesa!! Acho que é a única sobremesa que como no Manoel. Olha que eu nem gostava muito de banana antes e agora adoro banana frita com canela!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s