Calvin on the economy

Here’s a strip from Calvin & Hobbes published about 15 years ago. Amazing how current it is… Click on the image to see the full size.

From the blog of a Harvard University Economic professor.

Advertisements

Quote

“The best travel is not about a list of monuments, museums, and landscapes. The best travel is about people, and if you travel well it is people that you are going to remember most. People that are strange, unique, foreign, similar, friendly, nice, hospitable, loving, kind, rude, outrageous, and normal. These will be the experiences that stay with you forever, that no postcard can ever reproduce.”

From The Art of Travel

Muere lentamente

This was posted by Danilo in his blog and it’s so brilliant, I couldn’t help posting here…

Muere lentamente
quien no viaja,
quien no lee,
quien no oye música,
quien no encuentra gracia en sí mismo.

Muere lentamente
quien destruye su amor propio,
quien no se deja ayudar.

Muere lentamente
quien se transforma en esclavo del hábito
repitiendo todos los días los mismos trayectos,
quien no cambia de marca,
no se atreve a cambiar el color de su vestimenta
o bien no conversa con quien no conoce.

Muere lentamente
quien evita una pasión y su remolino de emociones,
justamente estas que regresan el brillo
a los ojos y restauran los corazones destrozados.

Muere lentamente
quien no gira el volante cuando esta infeliz
con su trabajo, o su amor,
quien no arriesga lo cierto ni lo incierto para ir detrás de un sueño
quien no se permite, ni siquiera una vez en su vida,
huir de los consejos sensatos…

¡Vive hoy!
¡Arriesga hoy!
¡Hazlo hoy!
¡No te dejes morir lentamente!
¡No te impidas ser feliz!

Pablo Neruda

Quote

“Success is not the key to happiness. Happiness is the key to success. If you love what you are doing, you will be successful.”

Albert Schweitzer

If I had to give one advice to anybody who’s trying to decide what to do with their lives, what career to choose, that would be it!

Borderless

She’s Brazilian, married to a very talented Afro-German jazz musician, and lives in California where she is raising two very multi-cultural children. Regina Camargo writes poetry and this one describes my feelings very well:

Borderless


I was born with a wondering heart

Thousands of miles away

In a city that never sleeps

Where you cannot see the horizon

But you can buy flowers at three in the morning

Millions of people coming and going

I can easily remember names of airports

Even though they always feel the same

I like watching the long list of destinations go by

Home is just a state of being

I belong to many places

My roots spreading all over

I strive for a world borderless

I have learned to mistrust flags

While stretching my heart

June 2006

Sem fronteiras

Eu nasci com um coração errante

A milhares de milhas daqui

Numa cidade que nunca dorme

Onde é impossível de ver o horizonte

Mas há como comprar flores às três da madrugada

Milhões de pessoas indo e vindo

Nomes de aeroportos

Eu me lembro com facilidade

Ainda que eles sempre pareçam o mesmo

Gosto de ver a lista das destinações a se desdobrar

Home é estado de espírito

Eu pertenço a muitos lugares

Minhas raízes se espalham

Luto por um mundo sem fronteiras

Aprendi a desconfiar de bandeiras

Enquanto meu coração se alarga

—————-

A while ago she wrote this poem, that left me with tears on my eyes…

Quote

I came across this quote on Denise’s blog and I really enjoyed it –

Não entendo. Isso é tão vasto que ultrapassa qualquer entender. Entender é sempre limitado. Mas não entender pode não ter fronteiras. Sinto que sou muito mais completa quando não entendo. Não entender, do modo como falo, é um dom. Não entender, mas não como um simples de espírito. O bom é ser inteligente e não entender. É uma benção estranha, como ter loucura sem ser doida. É um desinteresse manso, é uma doçura de burrice. Só que de vez em quando vem a inquietação: quero entender um pouco. Não demais: mas pelo menos entender que não entendo.

Clarice Lispector